Sem categoria

7 milhões de brasileiras sofrem com a endometriose: entenda sobre a doença

24 de outubro de 2017

Oi, pessoal. Tudo bem?

Ainda no mês voltado aos cuidados com a saúde da mulher (Outubro Rosa), trago a vocês um assunto que muitas de nós já ouvimos falar, e que precisa ser esclarecido: a endometriose. Conversei com a ginecologista e nutróloga Melissa Antoun, que explicou um pouco sobre a doença e seus sintomas. Vem comigo saber tudo sobre o tema!

A ginecologista esclarece que a endometriose é uma doença imunológica e que pode afetar vários órgãos. “A doença se caracteriza pela presença do tecido que reveste o interior do útero fora da cavidade uterina. O que deve ser observado é que a endometriose acaba afetando outros órgãos como os ovários, intestinos e cavidade pélvica”, explica.

24.10EB

                Melissa esclarece também que os sinais da endometriose devem ser observados com atenção. Além disso, o acompanhamento médico regular é de extrema importância, para o diagnóstico precoce. “É muito importante que as mulheres se atentem a sinais como, por exemplo, cólicas muito intensas, fora de período menstrual, dores abdominais e na relação sexual, além de desconforto ao evacuar durante o período menstrual”, comenta.

Segundo estudos da Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva, realizados neste ano, mais de 7 milhões de mulheres no Brasil sofrem com a doença. Hoje trago a vocês o relato da Eloisa Santana, que diagnosticou precocemente a doença e hoje consegue seguir sua vida tranquilamente.

Eloisa conta que descobriu a endometriose no ano de 2012, quando tinha 32 anos. “Desde o diagnóstico tenho tratado e hoje não tenho mais dores ou qualquer sintoma da doença. Meu tratamento é muito simples, não menstruo mais e isso foi uma libertação em minha vida. Eu sofria de cólicas, enxaquecas, ciclo irregular, TPM e fluxo intenso, mas hoje, após o controle da doença, não sinto mais dores”, comenta.

24.10EB2

               Para Eloisa, o que fez a diferença para o tratamento foi, sem sombra de dúvidas, a descoberta da doença e o bom acompanhamento médico. “Como minha médica diagnosticou a endometriose bem no início e a lesão ainda estava pequena, não precisei fazer cirurgia, só o tratamento hormonal foi suficiente. Portanto, um bom acompanhamento ginecológico, um diagnóstico precoce, paciência e seguir corretamente o tratamento são a chave para um bom controle da doença”, finaliza.

Quer saber mais sobre a saúde da mulher? Confira essa matéria sobre como detectar o câncer de mama: https://goo.gl/tBqZuF

Cuide-se sempre! Beijos, Si.

 

Comentários pelo Facebook

Confira Também

Nenhum Comentário

Deixe uma Resposta

*