Saúde

Mulheres têm maior risco de ter osteoporose

23 de Janeiro de 2018

Olá, pessoal. Tudo bem?

Outro dia fiz um post falando sobre a osteoporose e como é importante a gente se cuidar para evitar a doença. Eu, quando estava com uns 30 anos, me alertei sobre isso e, além da musculação, passei a ingerir alimentos que possuíam maior quantidade de Cálcio e Vitamina D, por serem substâncias muito importantes para o fortalecimento dos ossos.

Pesquisei diversos alimentos que gosto e que possuíam essas substâncias para que eu incluísse à minha alimentação. Foi quando conheci o FortiFit PRO, da Danone, um suplemento nutricional, composto por Whey Protein Isolado, cálcio e vitamina D, além de nutrientes importantes que ajudam na manutenção de músculos e ossos saudáveis. Eu tomo todos os dias seis colheres do produto misturadas com 125 ml de água gelada. Lembrando que a opinião do seu médico ou nutricionista sobre os benefícios e a tabela nutricional desse produto é muito importante.

Conversando com a nutricionista Camilla Fernandes, ela me alertou que as mulheres têm maior probabilidade de desenvolver a osteoporose do que os homens.  Isso porque, com a chegada da menopausa, toda mulher passa por uma série de mudanças no organismo. “Quando a mulher entra no período pré-menopausa, ela passa a diminuir a produção do hormônio feminino estrogênio, o que acaba resultando na fragilidade dos ossos”, explica a nutricionista.

Camilla esclarece que a osteoporose é uma doença silenciosa, se manifestando apenas quando em estágio já bem avançado. “É comum sentir dor nos ossos e na articulação, além de fraturas espontâneas. Muitas pessoas, quando chegam ao hospital com alguma fratura, é que descobrem que têm a doença”, conta a nutricionista. Ela salienta a importância de atividades físicas para o fortalecimento dos músculos, combinado com uma boa alimentação.

A nutricionista conta que a osteoporose não tem cura, mas devemos ter determinados cuidados para evitar uma fratura e maiores complicações com a doença. “O tratamento pode ser a base de remédio, mas é, basicamente também, a prática de atividades físicas e a ingestão de alimentos com Vitamina D e Cálcio”, pontua.

A Camilla ressalta que é muito importante saber quais fatores provocaram a condição, para, então, realizar o tratamento adequado. Isso porque, pessoas de pele branca, vida sedentária e histórico familiar de osteoporose também podem ser fatores determinantes para a doença. “Nem sempre uma mulher que tem osteoporose é consequência da falta do hormônio. É preciso ter o diagnóstico de um profissional para que ele direcione o melhor tratamento para cada caso da doença”, finaliza Camilla.

 

Comentários pelo Facebook

Confira Também

Nenhum Comentário

Deixe uma Resposta

*