Superação

“Vencer o câncer é uma grande dificuldade”: conheça a história do William César

5 de dezembro de 2017

Oi, pessoal! Tudo bem com vocês?

Acredito que na vida sempre precisamos ouvir histórias que nos inspirem a ser melhores. Por isso, sempre gosto de compartilhar com vocês casos em que pessoas superaram as diversas dificuldades que a vida nos impõe. Hoje, conto a vocês mais uma dessas histórias.

A história de luta e superação é do senhor William César, que tem 66 anos de idade e mora aqui em Uberlândia. Ele foi diagnosticado, no ano de 2015, com câncer de próstata e enfrentou a doença com garra e muita fé. “Quando eu recebi a notícia, foi muito triste de ouvir, porque é uma doença ligada à morte. Você não quer morrer nem ficar doente, mas a minha fé em Deus é muito grande. Quando fui diagnosticado, imediatamente fiz todos os exames e procurei o hospital com toda a documentação pronta e os encaminhamentos”, explica.

                Quando descobriu o tumor maligno na próstata, William já havia enfrentado perdas recentes, como a do irmão, que também teve câncer, e a irmã, que sofreu um aneurisma. William conta que descobriu a doença em um dos exames periódicos que fazia, ainda enquanto o irmão dele realizava o tratamento contra câncer. “Fui diagnosticado com câncer quando fiz exames periódicos. Então, o cardiologista me indicou fazer um exame mais específico para este tipo de câncer, chamado de PSA, que apresentou alterações. Levei um susto e até achei que ele estava errado, porém, com os demais exames e a biopsia, constatei que realmente tinha um tumor”, comenta.

Ele conta que passou por 37 sessões de quimioterapia e 34 de radioterapia, e logo após, recebeu alta. Ele frisou que o apoio da família e a preparação psicológica foram importantes para que o processo obtivesse sucesso. “Nesse momento, minha esposa foi muito companheira e parceira. Decidimos não ouvir outras histórias, porque cada caso é um caso”, afirma o aposentado.

Com todo carisma e confiança, William acredita que a cura não vem apenas do tratamento feito no hospital, mas por tudo o que o cerca, em especial, o fortalecimento do psicológico. “Hoje, eu faço todas as coisas que os médicos me disseram para fazer como atividade física, correr, não ingerir bebida alcoólica e manter uma boa alimentação. Tudo que foi determinado pelos médicos para me ajudar eu tenho feito e vou continuar fazendo. Motivação é uma palavra muito difícil para quem está com esse diagnóstico, então é importante manter a alegria e o psicológico forte” finaliza.

Para você, que se inspirou nessa história, confira esta aqui também, com a Françoise Mota: https://goo.gl/v9uiDX

Beijos, Si.

Comentários pelo Facebook

Confira Também

Nenhum Comentário

Deixe uma Resposta

*